Pesquisar este blog

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

BRAZILZILZIL II

A revista Época levantou uma comparação com o preço cobrado pelo Corolla em outros países. De 13 países pesquisados, o Brasil é onde ele custa mais caro. Nos Estados Unidos, ele é vendido por R$ 32.800 (US$ 19 mil), menos da metade do preço daqui. Na China, por R$ 37.100. No México, por R$ 37.200. Na Alemanha, por R$ 50.700. O preço médio dos 13 países é de R$ 45.800, 60% do preço nacional.


Obs.: É claro:
1) aqui se ganha muito mais, por exemplo, do que nos Estados Unidos (ha, ha, ha);
2) aqui este dinheiro é distribuido pelo governo aos pobres, tanto que temos uma distribuição de renda muito melhor do que a do Japão (qua, qua, qua qua);
3) aqui este dinheiro serve para nos proporcionar serviços publicos muito melhores do que os da Alemanha (uau!);



   

3 comentários:

Zé Clemente disse...

Grande Pedrão, faz tempo que não passo por aqui. To ocupado demais, sobrecarregado.

Disse ha poucos meses a um americano que somos ricos e justifiquei a ele citando a avalanche de impostos que pagamos. Claro, o cara deu risada da situação.

Abraço

Pedro Henrique "Baleiro" disse...

Grande Zé Clemente. Gostei muito das tuas considerações sobre a restauração do Templo.
http://amigosvelozes.blogspot.com/2010/08/interlagos-porque-sou-favor-da.html
Concordo plenamente.
Brilhante.
Um abração.

Roberto Costa disse...

Não acho que a conta seja tão simples assim.
Na Revista Automotive Business que está circulando com o tema Autopeças existem declarações de Diretores de Compras de montadoras sobre o assunto e em especial o da FIAT informando que comprar aço na China ou na Índia e pagar todos os insumos (impostos, frete,etc) ainda fica 15% mais barato que o da Usiminas que produz ao lado. Na mesma entrevista ele relata que só não aumentam os volumes de importação pelos riscos cambiais e logísticos que a operação traz. Também foi citado o fato da VALE estar reajustando o aço trimestralmente o que vai acabar impactando ainda mais no preço dos automóveis novos.